Quem era Diana Prince antes de se tornar a maioria heroína que conhecemos? Será que ela também tinha os mesmos conflitos de adolescentes que nós tivemos? Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra da autora Leigh Bardugo vem para nos mostrar quem era Diana antes de se tornar a Mulher Maravilha.

“Não se entra em uma corrida para perder.”

Diana, filha da Rainha Hipólita deseja se encaixar. Ser merecedora do título de Amazona, para que assim possa conseguir o respeito e a glória que tanto almeja. Feita do barro, a partir da vontade de Hipólita, Diana não teve o privilégio de morrer com glória e conseguir um lugar em Temiscira dado por Atena. A oportunidade parece surgir, quando Diana salva a vida da humana, Alia. E ao descobrirem que Alia é uma semente da guerra, descendente de Helena de Tróia e que tem o poder inerente de levar o mundo à guerra, as garotas partem em uma missão suicida para se ajudarem.

Sementes da Guerra faz parte da coleção da Lendas da DC . Uma releitura de seus personagens mais famosos, voltados para um público jovem para aproximar os novos leitores de grandes super heróis.

Capa do livro

Sementes faz uma releitura da Diana Prince que estamos acostumados. No entanto, a essência da personagem está aqui. Leigh conseguiu através do livro fazer de Diana uma adolescente que precisa se encaixar em seu mundo. Que quer crescer por seus méritos, sem precisar andar a sombra dos feitos de sua mãe. Ela não quer privilégios de nascença, ela quer conseguir tudo da mesma forma que suas irmãs.

Diana é uma adolescente determinada, forte e o melhor, profunda. Ela tem seus dilemas, medos e inseguranças. Cresce dentro da narrativa a medida que vai passando por experiências inacreditáveis e que exigem muito dela. Mostrando que por mais que tenha vindo do barro, ela também precisa aprender e crescer com suas experiências e não com a ideia de que já nasceu pronta e entendendo tudo a sua volta. Ela é o contraste entre inocência e força.

Detalhes da edição

Outro ponto positivo do livro são as duas personagens femininas que embarcam nessa aventura ao lado de Diana. Alia, a semente da guerra, por exemplo, é uma garota negra, nerd e rica. Alia não se encaixa no seu mundo. Tudo parece dar errado em sua vida e ela acaba por se isolar. A medida que aprende mais sobre si mesma, Alia acaba se mostrando uma personagem cativante e determinada que vai buscar lutar por seus ideais sem que seu irmão mais velho dite as regras.

Nim é uma garota indiana, acima do peso e bissexual. Ao lado de Alia, as duas tentam se encaixar em um mundo que as vê como garotas não padrão e que não merecem uma “segunda olhada”. No entanto, Nim é uma personagem incrível. Engraçada, inteligente, cativante e uma amiga para todas as horas. Nim é o braço direito de Alia e não mede esforços para ajudar a amiga.

As três garotas formam um dos núcleos femininas mais interessantes que li recentemente. Com falas feministas, as meninas descontroem conceitos machistas durante a narrativa. Elas não rivalizam por homens,  e se dão bem logo de cara. Levantam uma a auto estima da outro e constroem uma irmandade de empatia tornando-as um núcleo coeso e forte. Precisamos de mais livros com mulheres se ajudando assim.

Outra coisa que chama a atenção é como Leigh insere dentro da narrativa os avanços que a tecnologia nos deu e que melhoraram a vida de todos nós. Avanços na medicina, que erradicaram doenças e tornaram à expectativa e qualidade de vida melhor. Em contrapartida, as guerras ou melhor, a forma como podem acontecer guerras também avançou e que isso pode levar o mundo a uma nova era de caos com um simples click na tela de um computador.

Detalhes

Eu gostei bastante dessa releitura da Diana. O livro tem algumas reviravoltas bacanas e apesar de não ter um super vilão do mal, é compreensível a mensagem de supremacia que ele deseja passar. O começo do livro também parece um pouco lento, mas isso se deve ao fato de sermos apresentados aos dilemas que Diana passa. Afinal, temos que ter um ponto de partida.

Mesmo com isso, a narrativa é simples, fluida e dinâmica. Eu me divertir em diversos momentos e me emocionei com o final. Agora aguardo o próximo volume da coleção que será de ninguém menos que o Batman!!

*Livro cedido pela editora em parceria*

Onde Comprar: Amazon | Saraiva

Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra Book Cover Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra
Lendas da DC #1
Leigh Bardugo
Young Adult, Fantasia, Aventura
Editora Arqueiro
2017
400

“Se você precisa parar um asteroide, você chama o Superman. Se você deseja resolver um mistério, você chama o Batman. Mas se você quer acabar com uma guerra, você chama a Mulher-Maravilha!” – Gail Simone, roteirista da DC Comics

Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.

Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.

No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Facebook Comments

Keyla Kercya

Apaixonada por fantasia,terror e quadrinhos. Tem uma crush pelo Batman, Nightwing,Bluebird e Harley Quinn. Gótica assumida que ama Unicórnios!

About The Author

Keyla Kercya

Apaixonada por fantasia,terror e quadrinhos. Tem uma crush pelo Batman, Nightwing,Bluebird e Harley Quinn. Gótica assumida que ama Unicórnios!

Related Posts