Hello, construí a resenha de um dos livros que mais me destruíram. Antes que eu vá, me despertou interesse porque eu já conhecia a autora por outros trabalhos, e vi que ela tinha uma desenvoltura para proporcionar sensações intensas no leitor.

Um assunto já abordado em outros livros, mas com a escrita de Lauren fazendo você sentir cada emoção que se passa no livro, você começa a sentir o que nossa protagonista sente, em certo ponto.

Samantha Kingston é a popular, tem tudo que uma garota poderia querer na vida, amigos perfeitos, namorado perfeito (mesmo que ela não goste muito do jeito dele), só que ela não é muito gentil com os outros e uma vida perfeita. Em uma noite tudo isso muda, 12 de fevereiro, sexta feira, ela sofre um acidente, mas ela não morre como era suposto acontecer, ela revive o mesmo dia várias e várias vezes.

“Talvez você possa se dar ao luxo de esperar. Talvez para você haja um amanhã. Talvez para você haja mil amanhãs, ou três mil, ou dez, tanto tempo que você pode se banhar nele, girar, deixar correr como moedas entre os seus dedos. Tanto tempo que você pode desperdiçar. Mas para alguns de nós só existe hoje. E a verdade é que nunca se sabe.”

Durante essas repetições, ela percebe o que está perdendo ao redor dela, o que ela deixou de aproveitar por puro egoísmo. Também conhecemos um pouco do passado de Sam, que era uma criança muito melhor do que sua versão adolescente.

“Eis outra coisa a se lembrar: a esperança o mantém vivo. Mesmo quando você está morto, é a única coisa que o mantém vivo.”

Os personagens secundários são o foco principal da história, porque cada um deles teve um poder na história da protagonista que a afetaram, sua família, amigos, namorado, as pessoas que sofreram bullying dela. Outro assunto polêmico e também muito importante a ser debatido, porque de certa forma o que acontece no livro poderia ser evitado se houvesse o conhecimento de que o bullying muda as pessoas, para algo que nem elas querem ser e as machuca de maneira irreparável.

“ Os olhos de todo mundo parecem brilhantes, como olhos de bonecas, por causa do álcool, e talvez outras coisas. É um pouco repulsivo, para falar a verdade. Apesar de estudar com todas essas pessoas há séculos, todas parecem diferentes, estranhas, e quando sorriem para mim só vejo dentes por todos os lados, como piranhas se preparando para comer. Sinto como se uma cortina tivesse caído e eu estivesse enxergando as pessoas como elas realmente são: diferentes, cruéis e irreconhecíveis. ”

A cada repetição uma nova versão do mesmo dia é feita por Sam que tenta entender o do porque isso está acontecendo com ela. Em cada uma, logo se percebe que a personagem está amadurecendo e tendo suas revelações pessoais sobre, “O que realmente ela tinha?”, “Quem ela poderia deixar para trás?” , “ E como ela tinha deixado tudo passar na frente dela sem que a mesma percebesse?”

“Estremeço, pensando em como é fácil se enganar completamente a respeito dos outros — de ver uma pequena parte deles e confundir com o todo, de ver a causa e confundir com o efeito e vice-versa.”

Uma história maravilhosa, com elementos tão comuns e ao mesmo tempo novos, Antes que eu vá irá virar uma adaptação cinematográfica sem data de estreia ainda, mas já com a escolha da atriz que será a protagonista, Zoey Deutch.

Uma festa, sete chances, novos sentimentos, um amor e o poder de mudar o presente.

“Mas antes que comece a me acusar, permita-me fazer uma pergunta: o que fiz foi realmente tão ruim? Tão ruim que eu merecia morrer por isso? Tão ruim que eu mereça morrer assim?
O que eu fiz foi realmente tão pior do que o que todo mundo faz?
É realmente pior do que você faz?
Pense a respeito”.

Antes que eu vá Book Cover Antes que eu vá
Lauren Oliver
Drama, Romance
Intrínseca
2011
368

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento.

Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

...

Em uma noite chuvosa de fevereiro, Sam é morta em um acidente de carro horrível. Mas em vez de se ver em um túnel de luz, ela acorda na sua própria cama, na manhã do mesmo dia. Forçada a viver com os mesmos eventos ela se esforça para alterar o resultado, mas acorda novamente no dia do acidente.

O que se segue é a história de uma menina que ao longo dos dias, descobre através de insights desoladores, as conseqüências de cada ação dela. Uma menina que morreu jovem, mas no processo aprende a viver. E que se apaixona um pouco tarde demais.

Facebook Comments

Heloisa Almeida

Tenho 17 anos, Alagoana de sangue quente. Passo a maior parte do meu dia lendo, sou uma leitora eclética e com gosto musical refinado ao estilo clássicos do Rock, sempre abrindo espaço para Indie, minha grande paixão. Tenho uma cachorra que dou mais prioridade do que minha própria vida pessoal, tenho melhores amigas que consider irmãs de outra mãe. Com sempre digo: "Estou seguindo o fluxo para onde a vida quiser me levar."

About The Author

Heloisa Almeida

Tenho 17 anos, Alagoana de sangue quente. Passo a maior parte do meu dia lendo, sou uma leitora eclética e com gosto musical refinado ao estilo clássicos do Rock, sempre abrindo espaço para Indie, minha grande paixão. Tenho uma cachorra que dou mais prioridade do que minha própria vida pessoal, tenho melhores amigas que consider irmãs de outra mãe. Com sempre digo: "Estou seguindo o fluxo para onde a vida quiser me levar."

Related Posts