Após um primeiro contato com Marada: a Mulher-Lobo, a editora Pipoca & Nanquim traz para os seus leitores mais uma história de espada e feitiçaria embebida fartamente nos tônicos do terror medieval e das grandes batalhas. Simulando uma Inglaterra medieval repleta do frescor de sua juventude, a combinação de John Bolton (Os Livros da Magia e Sadman) e Chris Claremont (X-Men, Wolverine e Quarteto Fantástico) apenas despejou mais combustível no desejo de conhecer mais esta história.

Em Dragão Negro, a lendária dupla responsável por Marada convida os leitores a conhecer a história do cavaleiro exilado James Dunreith. Em sua última tentativa escapatória, James acaba sendo capturado por soldados que o aprisionam em uma espécie de abadia disfarçada de Forte. Acusado de ser um necromante e de usar de artifícios malignos para os seus propósitos, James aguarda a execução de sua sentença: a morte, não tem dúvidas.

“O modo como uma pessoa morre às vezes importa tanto quanto a própria morte.”

Foto por Dhiego Morais

A história muda de sinal de repente quando exímios soldados de Leonor da Aquitânia. Antigamente um duque de Ca’rynth, James, o Dragão Negro, recebe a proposta de, em troca de ter tudo o que perdeu, usar de sua influência e até de seus “esperados” poderes para deter a figura do Conde de Glenowyn, Edmund DeValere, que incita rebelião nas terras a oeste.

James não aparenta ter envelhecido em todos esses anos de exílio, e seu retorno às terras de origem inicia uma reação em cadeia que movimentará exércitos em busca de batalhas assombrosas e sangrentas. Orgulhoso e dono de um humor ácido, a solidão alimentou boa parte da descrença que se infiltrou em sua mente. Ademais, os sonhos frequentes com uma criatura colossal e ancestral, uma espécie de dragão onisciente e muito poderoso aflige sua sanidade.

É bastante interessante ver como Bolton e Claremont trabalham a mitologia já existente em torno de uma Inglaterra tão jovem e selvagem. Para os leitores mais maduros, o conhecimento de obras como O Rei do Inverno, de Bernard Cornwell e Pássaro da Tempestade, de Conn Iggulden, aumenta o nível da experiência ao ler Dragão Negro. O sobrenatural, tão intrínseco ao passado de terras tão antigas veste completamente bem a trama desenvolvida pela dupla. Não fica difícil imaginar a história sendo adaptada para as telinhas ou para o cinema.

A arte fica a cargo mais uma vez de John Bolton, que brilha com suas ilustrações em preto e branco, tão ricas em detalhes. Os traçados das personagens e a forma como desenvolve os cenários conduz a uma transcrição do roteiro de Claremont que assusta de tão bem realizada. É realmente arte para se admirar.

A edição nacional da Pipoca e Nanquim traz ao público a história na íntegra, com esboços nunca antes publicados e em uma edição de luxo, em capa dura, papel de qualidade com corte lateral em preto e capa envernizada com título em dourado e baixo relevo.

“Sou aquilo que sempre soubeste, mas nunca entendeste. Sempre sentiste, mas nunca tocaste. Buscaste, mas nunca encontraste. Eu sou tu.”

Foto por Dhiego Morais

A trama pouco a pouco se desdobra e ganha complexidade em suas páginas. Ao contrário do que algumas pessoas acabam pressupondo, de quem histórias em quadrinhos em sua maioria se convertem a contos rasos e de falha complexidade ou de personagens simples em prol de uma arte estonteante, Dragão Negro é a prova de que se faz muito em um bom quadrinho. Sangue, fogo e magia caminham lado a lado de uma história que versa sobre o poder de fragmentação do eu ao ser exilado; sobre a fé em si mesmo e a força da empatia; bem como sobre o amor por suas terras e a esperança da sobrevivência dos povos e do reino.

Definitivamente uma história para os amantes de Game of Thrones e das histórias medievais de Bernard Cornwell.

Dragão Negro Book Cover Dragão Negro
Chris Claremont & John Bolton
Fantasia
Pipoca & Nanquim
20.02.19
Físico
204

O ano é 1193 da Era Cristã. James Dunreith, exilado pelo seu senhor e rei, Henrique, voltou para reivindicar a terra que é sua por direito de nascença. Acusado de feitiçaria, Dunreith é pressionado pela rainha Leonor da Aquitânia e incumbido de uma missão: encontrar uma pessoa que vem se rebelando contra a coroa e resolver a questão a qualquer custo; o problema é que essa pessoa já foi o seu melhor amigo. Ainda mais perigosa do que qualquer ameaça política é a conspiração para dominar os poderes ocultos ancestrais advindos daquela região, que podem desencadear o mal supremo. Será que o coração valente do herói e o poder das rainhas das fadas e do mundo terreno serão capazes de salvar a Inglaterra da voracidade do Dragão Negro? Publicada pelo selo Epic Illustraded, da Marvel Comics, Dragão Negro é uma incrível história de fantasia situada na Inglaterra medieval. Combinando contos de fadas com figuras histórias, a graphic novel reúne os criadores Chris Claremont e John Bolton, a mesma dupla responsável pelo sucesso Marada, a Mulher-Lobo. Com 204 páginas, esta edição de luxo traz a história na íntegra, uma galeria de esboços e todas as capas originais em cores. Um clássico da fantasia medieval em quadrinhos que merece estar na coleção de todos os fãs.

Facebook Comments

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

About The Author

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

Related Posts