Sabe quando você assiste a um filme, se envolve completamente na história e passa eras da sua vida amando esse filme? Até que um fatídico dia, você descobre que tal filme é baseado em um livro e decide comprar esse livro, porém o medo da decepção vinculado a uma mega hype entorno do livro te fazem protelar a leitura? Então, aconteceu comigo e com O Planeta dos Macacos; livro lançado em 2015 pela Editora Aleph.

Apesar do imenso medo de decepção decidi mergulhar de cabeça nessa leitura, e para minha surpresa foi maravilhosa. O filme é um pouco diferente do livro, aqui nos iremos acompanhar as aventuras e desventuras do humano Ulysse Mérou é um jornalista francês que parte da terra em uma nave tripulada por ele e seus dois companheiros na esperança de chegarem até o sistema Betelgeuse. Ao chegarem ao planeta, não só descobrem que este possui ambiente propicio para humanos, como os próprios humanos do local são selvagens. A partir disso, Ulysse e seus companheiros são presos por tais humanos selvagens. Ulysse consegue construir um tipo de vinculo afetivo com uma habitante do planeta, a quem ele chama de Nova. Até que em um belo dia acabam caindo no meio de uma caça promovida pela “inteligência dominante” no planeta, símios que vivem exatamente como os humanos vivem na terra.

“Os homens, sempre os homens.”

O Planeta dos macacos é até os dias atuais uma história que fascina. Tanto que desde o lançamento do livro com o primeiro filme baseado na obra de Boulle, ganha novo adaptações e versões de tempos em tempos. É uma história brilhante e fascinante.

Toda a narrativa segue do ponto de vista de Ulysse. Isso torna a linguagem fluida e dinâmica e o melhor, de fácil compreensão. O melhor é poder ler o relato de Ulysse, sentir através da leitura  e dos seus sentimentos o que é ser considerado um “animal desprovido de inteligência e alma”. Essa inversão de papeis proposta por Pierre colocando homem como animal e animal no topo da cadeia evolutiva nós coloca em reflexão sobre o que somos, para onde vamos. Questionamentos estes que estão arraigados em nós desde tempos remotos.

O que mais me fascinou no livro foi a relação de “almas” entre Ulysse e a chipanzé Zira. A Zira é uma das personagens mais “humanas” que já li na vida. Ela é sensível, e sente uma imensa empatia por Ulysse assim que consegue ver nele algo totalmente diferente dos demais homens que habitam no planeta. A relação construída pelos dois é algo forte, intenso e que como bem fala Ulysse, impossível de se explicar. Outra personagem incrível é Nova, uma humana selvagem que é tocada pelo “espírito” de Ulysse e se transforma totalmente.

“Eis a prova de que é possível perder o espírito, assim como adquiri-lo”

Enfim, aqui vai uma dica de ouro para quem viu os filmes, principalmente o primeiro. Você terá uma visão totalmente arrebatadora de sua mera condição como inteligência dominante, do que te faz ser humano e o que te difere de animais “irracionais”,além de um final totalmente fantástico ( e diferente do filme) que consegue te deixar completamente extasiado com essa leitura revigorante e reflexiva.

 

O Planeta dos Macacos Book Cover O Planeta dos Macacos
Pierre Boulle
Ficção Científica; Distopia
Editora Aleph
2015

Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade: nesse mundo, seus pares humanos não passam de bestas selvagens a serviço da espécie dominante... os macacos. Desde as primeiras páginas até o surpreendente final – ainda mais impactante que a famosa cena final do filme de 1968 –, O planeta dos macacos é um romance de tirar o fôlego, temperado com boa dose de sátira. Nele, Boulle revisita algumas das questões mais antigas da humanidade: O que define o homem? O que nos diferencia dos animais? Quem são os verdadeiros inimigos de nossa espécie? Publicado pela primeira vez em 1963, O planeta dos macacos, de Pierre Boulle, inspirou uma das mais bem-sucedidas franquias da história do cinema, tendo início no clássico de 1968, estrelado por Charlton Heston, passando por diversas sequências e chegando às adaptações cinematográficas mais recentes. Com milhões de exemplares vendidos ao redor do mundo, O planeta dos macacos é um dos maiores clássicos da ficção científica, imprescindível aos fãs de cultura pop.

Facebook Comments

Keyla Kercya

Apaixonada por fantasia,terror e quadrinhos. Tem uma crush pelo Batman, Nightwing,Bluebird e Harley Quinn. Gótica assumida que ama Unicórnios!