Abrindo uma série de resenhas que pretendemos fazer aqui no site como um especial para um dos meus autores de fantasia preferidos: J.R.R . Tolkien. Decidi começar com um dos seus livros infantis que li recentemente, e foi uma grata surpresa. Roverandom.

Processed with VSCO with a5 preset

A principio, as pessoas tendem a achar que livros infantis só possuem ensinamentos dirigidos as crianças, mas Tolkien e muitos autores, como Neil Gaiman, J. K. Rowling entre outros nos mostram como essa afirmação é errônea e sem precedentes.

Em Roveradom, iremos nos deparar com a divertida história do cãozinho Rover, que após um fatídico encontro com um mago acaba por ser transformado em um cão de brinquedo e exposto a venda. A partir daí, Rover passa a viver altas aventuras em diversas paisagens e com diversas criaturas.

12669243_1375245759168429_1090184864_o

É interessante essa abordagem da perda que Tolkien dá ao livro. Inspirado por um de seus filhos, que possuía um brinquedo como Rover e acabou por perdê-lo, Tolkien nos mostra como pode ser prazeroso e simples o processo de escrita, além de ensinar como podemos ser humildes e educados a partir da lição que Rover tira de sua pequena jornada enquanto cão de brinquedo.

Uma das coisas que achei legal foi à forma como Tolkien quis inserir a importância das palavras como: Por favor, Obrigada e Por nada. Pra mim foi uma forma de se aprender a respeitar as pessoas. Uma abordagem sutil e interessante.

Enfim, Roveradom é um livro fininho, que pode ser lido a qualquer momento. É garantia de bom humor na medida certa, e irá agradar crianças e adultos. A minha edição trás uma apresentação de como a história foi escrita, além de ilustrações coloridas feitas pelo John Howe e notas no final do livro. Vale super a pena.

Então, fica aqui a dica de um livro infantil super divertido, e que é ótimo para curar “ressacas literárias.” Roverandom é um livro para todos os públicos.

Roverandom Book Cover Roverandom
J.R.R.Tolkien
Fantasia; Infanto-Juvenil; Aventura
Wmf Martins Fontes
2014
160

Em 1925, durante as férias, o pequeno Michael Tolkien perdeu, na praia, um cãozinho de brinquedo que ele adorava. Para consolá-lo, o pai, J. R. R. Tolkien, inventou uma história sobre um cachorro de verdade que é transformado em brinquedo por um mago e enviado por um 'feiticeiro-da-areia' à Lua e ao fundo do mar. Mais de 70 anos depois, as aventuras do cachorro Rover, também conhecido pelo nome de 'Roverandom', foram publicadas na Inglaterra. Elas foram organizadas a partir do texto original por Christina Scull e Wayne G. Hammond.

Facebook Comments

Keyla Kercya

Feminista, apaixonada por terror, quadrinhos e pelo Steve Carell. Flerto com as trevas e amo unicórnios. Vivo em Mordor.