Ah, ele havia voltado. De novo. Existia certa eletricidade no cruzar de ambos os olhares. Mas também havia alguma coisa selvagem, sim, sedutora, também, mas claramente perigosa. Isso não era novidade para nenhum daqueles dois. Ele sabia das consequências de se estar ali, invadindo a área dela. Entretanto, não havia medo, e sim ousadia. Ele queria que ela o seguisse. Pois bem; que assim fosse. Ela não seria intimidada por forasteiros. A caça, dessa vez, seria outra.

Mais um dos últimos lançamentos de 2019, Love Kills é a segunda graphic novel de Danilo Beyruth a ser publicada pela Darkside Books, após Samurai Shirô. Contando com um acabamento especial, em capa dura em preto e amarelo, verniz localizado e papel de boa gramatura, a HQ é um projeto realizado com apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Além disso, para os leitores mais atentos, o letreiramento foi feito por Arion Wu, grande especialista responsável por verdadeiros milagres na finalização das letras de obras da editora Pipoca & Nanquim, por exemplo.

Arquivo Pessoal – @liemderry_

Em Love Kills, seremos levados de encontro às duas figuras centrais de nossa história: Helena e Marcus. Enquanto Helena é uma jovem solitária vivendo em um apartamento na cidade de São Paulo, Marcus é mais um entre milhares de paulistanos assalariados, um cozinheiro dedicado, mas que acaba tendo sua vida cruzada pela de Helena.

Logo nas primeiras páginas o autor nos permite ir formulando e construindo a imagem de quem seria Helena. Observá-la irromper a terra disposta na banheira é, definitivamente, uma das imagens mais marcantes da graphic novel. Lavando-se sob a água do chuveiro, à noite, Helena é a prova de que os vampiros existem e estão entre nós, ocultos em nossa sociedade superlotada, passando despercebidos na noite viva das grandes metrópoles. São Paulo respira, mas seus vampiros não.

Marcus é um cara durão, trabalhando o melhor que pode, mesmo tendo um chefe inconstante, de humor volátil. Em uma de suas noites, atarefado, ele avista pela primeira vez a figura singular de Helena, em um vestido justo e de óculos escuro. Embora não conseguisse ver seus olhos, sabia que estes estavam cravados nos dele, o medindo e perfurando feito aço. Quem era ela?

Nessa mesma noite, Helena percebe que há um forasteiro, um estrangeiro, sua espécie, bem na sua região, seu domínio, sua savana, seu restaurante particular. Ela sabe que ele vai fugir, assim como sabe que é isso que ele quer dela, todavia, Helena não sobreviveu todos esses anos aceitando ser intimidada. Em meio à perseguição, ela tromba com Marcus. Aqui, o destino se fecha.

Danilo Beyruth desenvolve a sua história com habilidade surpreendente. Cada fragmento de seu roteiro parece ser pensado idealmente, encaixando-se feito quebra-cabeça às ilustrações em preto e branco. Mesclando uma ambientação nacional à sensação do sobrenatural, Beyruth reconstrói o mito dos vampiros e ressignifica um clássico atemporal. Não apenas uma história de monstros, mas uma história de amor, um acerto de contas definitivo.

Enquanto os cenários se aproximam das protagonistas, o leitor observa como a cidade de São Paulo muda e reagem à presença sobrenatural. Quadros pontuais de equipes resolvendo problemas nas redes de esgoto ou nas de iluminação, por exemplo, provam o quanto o autor se preocupou em delinear cada microponto de sua narrativa.

Trecho da HQ

Por ter nascido em São Paulo e morar no litoral do estado, curti muito reconhecer o ambiente e clima da HQ. São coisas assim que aproximam o leitor ainda mais das obras que leem. E por falar em ambientação, toda a história tem um ar dos filmes cults dos anos 80 e 90.

O passado nem sempre fica enterrado. Por mais longe que possamos ir, às vezes ele retorna e um acerto de contas precisa ser feito. Helena perceberá os ventos de mudança e talvez compreenda que nem toda a humanidade é indigna de respeito.

Se haverá um segundo volume eu não sei. Mas que eu gostaria, ah, eu gostaria muito!

Você também pode curtir: Drácula, de Bram Stoker; Silvestre, de Wagner Willian e Blood, uma história de Sangue (Pipoca & Nanquim).

Love Kills Book Cover Love Kills
Danilo Beyruth
Fantasia. Horror
Darkside Books
2019
Capa Dura
248

LOVE KILLS é a investigação de Danilo Beyruth sobre o mito dos vampiros. Com um enredo em que os leitores reconhecem pitadas do universo de Anne Rice, do jogo de RPG Vampiro: A Máscara, e de filmes como Nosferatu (1922), de Murnau, e Drácula de Bram Stoker (1992), de Coppola, o artista apresenta uma grande história em quadrinhos repleta de aventura e terror, com o traço preciso do autor de Samurai Shirô. O sentimento e a forma como esses seres vampíricos se orientam no mundo em LOVE KILLS, destinados à imortalidade, trazem reflexões sobre a própria vida mortal do leitor. Entretanto, as cenas de ação e combate, e a narrativa cuidadosa de Danilo Beyruth não são colocadas de lado. Os desenhos muito bem realizados chamam a atenção do leitor em um primeiro momento, mas a qualidade da narrativa, da transição entre os quadrinhos e o ritmo da história, que mescla diálogos e ações, é o que vai segurá-lo até o final da obra. É uma leitura veloz, mas o leitor vai querer voltar algumas vezes, para se atentar aos detalhes da arte e da história, como se fosse um verdadeiro imortal. Danilo Beyruth é um autor bastante premiado pelos seus trabalhos e um nome consolidado nos quadrinhos brasileiros. Criador de Bando de Dois e Necronauta, reformulou o personagem Astronauta, de Maurício de Sousa, em uma série de graphic novels, colaborou com a Marvel Comics, em Motoqueiro Fantasma e Guardiões da Galáxia e tem trabalhos publicados nos Estados Unidos, Europa e Argentina. Em 2018, Danilo viu seus personagens e conceitos ganharem vida no filme Motorrad, dirigido por Vicente Amorim. Samurai Shirô segue o mesmo caminho e já está em produção cinematográfica internacional, também com direção de Amorim, o ator das séries Os Tudors e Vikings, Jonathan Rhys Meyers, além de Eijiro Ozaki e Kenny Leu e MASUMI no elenco. E os darksiders colecionadores tiveram contato com seu trabalho nas ilustrações horripilantes da edição comemorativa de 50 anos de A Noite dos Mortos-Vivos, de John A. Russo, em que Danilo dá um tiro certeiro na cabeça dos zumbis famintos. Agora, Beyruth entrega sua história de vampiros nas mãos de uma editora dedicada ao terror. LOVE KILLS, lançamento da DarkSide® Books em seu selo DarkSide® Graphic Novel ― inteiramente focado no melhor da arte sequencial ―, chega às livrarias em dezembro com mais de duzentas páginas em capa dura, para agradar os fãs da editora e do autor. A DarkSide® Graphic Novel é uma expansão do universo sombrio e fantástico da editora, lar de Charles Burns, autor de Black Hole e Big Baby, e de quadrinistas de renome como Dave McKean, Nagabe, Junji Ito, Kate Evans, Emily Carroll, Bernie Wrightson, Derf Backderf (de Meu Amigo Dahmer), entre outros. Se você é fanático pela arte sequencial, prepare-se para se surpreender novamente com sua velha paixão. E mesmo aqueles que não têm o hábito de ler hqs não vão se arrepender. Quem aposta no escuro com a DarkSide® costuma virar fã.

Facebook Comments

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

About The Author

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

Related Posts