Talvez seja apenas uma impressão minha, mas acredito que o ano de 2020 tenha se tornado um campo muito fértil para o lançamento de uma série de antologias pelas principais editoras brasileiras no mercado. Ainda que esse formato de texto não seja dos mais amados pelos leitores, que talvez prefiram os romances, é certo que as antologias estão ganhando cada vez mais espaço, versando desde coletâneas de histórias de fantasia, ficção científica e até de terror.

Antologia Dark trata-se de um livro organizado por uma das mentes mais expressivas do terror nacional: Cesar Bravo, autor de Ultra Carnem e VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue, além de ter também traduzido The Dark Man, poema de Stephen King lançado pela Darkside Books.

Em Antologia Dark, o leitor encontrará 14 histórias de terror e horror inspiradas em obras aclamadas e grandes clássicos de Stephen King. Nascendo como um delicioso tributo ao brilhantismo e à criatividade assombrosa do mestre do terror e do suspense, a antologia organizada por Cesar Bravo promete entregar contos que resgatam as inúmeras sensações da leitura, bem como trabalhar diferentes realidades e futuros quando fantasiamos sobre como tudo aquilo poderia ter sido ou continuado.

O livro conta ainda com uma série de ilustrações incríveis de Hokama Souza, que já colaborou em outras edições da Darkside, como por exemplo Medo Clássico: Edgar Allan Poe.

Abaixo, vou destacar os contos que mais me chamaram a atenção e os principais motivos para tanto:

Creed, de Cláudia Lemes: após a introdução da antologia, este é o conto que abre o livro. Com uma escrita ágil, Lemes nos convida a imaginar o que poderia ter acontecido ao motorista de caminhão responsável por uma das cenas mais dolorosas em O Cemitério, um dos livros mais assustadores e impactantes do mestre do terror. Com um plot fantástico, a autora constrói um suspense cheio de mistério e com boas doses de medo que certamente serão capazes de entreter grande parte dos leitores em suas incursões da madrugada.

Ao mesmo tempo em que é um tributo bem realizado, Creed também dá margem à imaginação, nos fazendo tecer uma série de suposições interessantes sobre o que de fato poderia ter acontecido a um personagem coadjuvante de O Cemitério cuja participação é tão expressiva, tão relevante para a própria trama.

Creed é o meu primeiro contato com a escrita de Claudia Lemes e foi suficiente para aguçar minha curiosidade para as demais obras da autora.

Granizo Fino, de Cesar Bravo: neste conto inspirado em O Corpo, conto presente na antologia “Quatro Estações”, nós encontramos muito provavelmente a grande joia de Antologia Dark. Considerada uma das histórias mais interessantes da antologia de Stephen King, O Corpo — que também foi adaptado para o cinema como Conta Comigo (1986), dirigido por Rob Reiner — é a perfeita inspiração para a mente criativa de Cesar Bravo.

Neste conto reimaginado, o leitor será convidado a tentar descobrir como o corpo encontrado na história de King teve o seu fim. O que poderia ter acontecido antes dos garotos o encontrarem? Do que ele fugia ou se escondia? Para onde iria? Qual é a história do garoto azarado antes de se tornar um corpo? São perguntas como essa que guiam Cesar Bravo a uma trama embebida em mistério e trespassada por um terror psicológico que se entranha discretamente em nosso subconsciente.

Ilustração de Hokama presente na Antologia Dark.

Granizo Fino atesta a capacidade nata do autor em desenvolver histórias realistas, que não apenas impressionam, mas são capazes de fazer germinar a semente do medo que todos nós possuímos em nossas mentes.

Cárem Sinistra, de Marco de Castro: como o próprio título pode revelar, a história macabra de Marco de Castro é abertamente inspirada em Carrie, a Estranha, livro que possibilitou a Stephen King ser o sucesso que é até hoje.

Embora não seja de todo um conto inovador em sua trama, Castro consegue configurá-lo para a realidade suburbana brasileira, centralizando a história para uma escola nos entornos de uma favela.

Cárem é uma jovem crescida debaixo das asas de uma mãe irremediavelmente religiosa, inflexível e tradicionalmente conservadora — assim como Carrie, de Stephen King —, fato que a afastou de inúmeros esclarecimentos sobre a própria vida e sobre o próprio corpo. Quando um grave evento envolvendo bullying e zombaria ocorre em sua escola, coisas sinistras são despertadas no interior de Cárem, conduzindo a uma erupção de emoções continuamente repreendidas por ela.

É claro que Antologia Darknão possui apenas os três contos citados acima. Juntam-se a eles outras boas histórias e que merecem ser citadas neste momento: A Hora da Bruxa, de Carol Chiovatto; O Retorno ao Ciclo do Lobisomem, de Alexandre Callari e Miséria, de Andrea Killmore.

Aos leitores que procuram por um bom livro de contos, de escrita fluida e histórias que voam por nossos dedos, Antologia Dark é um título a ser levado em consideração.

Indicado para quem gostou de: Antologia Macabra.

Antologia Dark Book Cover Antologia Dark
Cesar Bravo (org.)
Terror
Darkside Books
2020
Capa Dura
224

Vamos saudar o rei. Stephen King escreveu mais de sessenta livros ― quantos deles você já leu? Vendeu mais de 300 milhões de livros e coleciona mais de 50 prêmios por suas obras. Seu nome está no Guinness Book como o autor vivo com o maior número de adaptações para o cinema. Leitores sedentos por calafrios e pesadelos, histórias sinistras, personagens complexos e duvidosos... Um autor de mão-cheia, e um legado incomparável. O Homem do Maine inspirou grandes nomes do terror contemporâneo e se infiltrou no inconsciente de todos nós. Cravou suas garras com tanto afinco que de lá jamais poderá ser arrancado. Alguns desses autores já são conhecidos pelos leitores da Caveira; outros, surpresas guardadas como um segredo sobrenatural de família. É com orgulho no peito e um coração assombrado que a DarkSide® Books apresenta a Antologia Dark, uma homenagem à obra de Stephen King e um agradecimento por suas palavras terem formado leitores e vidas. Editada e organizada por Cesar Bravo ― autor de VHS: VerdadeirasHistórias de Sangue e Ultra Carnem, tradutor de The Dark Man ―, a antologia é o primeiro volume de uma coleção que vai promover a importância do conto no universo do horror e o diálogo entre autores nacionais e grandes mestres da literatura dark. O próximo homenageado será ninguém menos que o genial e maldito Edgar Allan Poe, considerado o grande nome da literatura fantástica e de horror. Cesar Bravo se dedicou a encontrar mentes criativas que, assim como ele, seguiram o rastro sombrio do mestre para dar vida a criações próprias ― talentos nacionais que transformaram suas loucas obsessões em palavras assustadoras e cativantes. O resultado é uma coletânea encharcada de sangue novo, com histórias de respeito inspiradas nos grandes clássicos de King: Cemitério Maldito, O Iluminado, A Dança da Morte, Carrie: A Estranha, A Torre Negra... e muitos outros. Cláudia Lemes, Vitor Abdala, Cesar Bravo, Ferréz, Carol Chiovatto, Everaldo Rodrigues, Marco de Castro, Ilana Casoy, Fernando Toste, Alexandre Callari, Antonio Tibau, André Pereira, Soraya Abuchaim e Andrea Killmore (Ilana Casoy e Raphael Montes) emprestam seu talento para honrar a carreira de um dos escritores mais prolíficos da história ― e convidam você para um passeio perturbador por suas mentes tortuosas. As ilustrações exclusivas do brasileiro Hokama Souza ― já conhecido dos darksiders pelo seu trabalho em Medo Clássico: Edgar Allan Poe Volume 2 ― emprestam sua aura obscura aos contos. De fã pra fã, como sempre foi. Vai encarar?

Facebook Comments

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.