Alguns livros nos proporcionam após o término da leitura reações estranhas, inesperadas ou simplesmente difíceis de traduzir em palavras. Uma coisa é encerrar a leitura de um livro de fantasia, uma aventura e se deparar com o seguinte pensamento: “ah, e se isso acontecesse comigo? Ia ser incrível!”. Outra coisa totalmente diferente é concluir a leitura de um livro de não ficção e tentar pensar na mesma frase. Se o assunto for BTK, seja grato por não ser protagonista dessa história. A crueldade humana é assustadora.

Lançado em 2019 no selo Crime Scene da Darkside Books e com tradução de Eduardo Alves, BTK Profile: Máscara da Maldade é mais um romance de não ficção cuja proposta é reconstruir o passado, os casos e mistérios envolvendo a figura de um dos assassinos em série que mais intrigou a polícia americana e aterrorizou sua população.

Arquivo pessoal

Confesso que se me perguntassem há um ou dois anos sobre meu interesse em ler esse tipo de livro, talvez minha resposta não fosse tão positiva, muito mais incerta. Todavia, após ter lido Lady Killers, outro título do catálogo de Crime Scene da editora, percebi o despertar de uma curiosidade até então desconhecida. É claro que há um sentimento de medo enquanto avanço pelas páginas desses livros, afinal, como não se mostrar assustado diante de tanta barbaridade, de tamanha maldade? Não é tão simples seguir com tranquilidade pelos capítulos, ciente do terror que tantas vítimas sofreram pelas mãos de assassinos em série que, com frequência, se mascaravam tão bem entre sua comunidade. Bons vizinhos, trabalhadores exemplares, pais comuns, vidas normais… mas hobbies e desejos desumanos.

BTK é fruto do trabalho de uma equipe especializada nos crimes desse assassino, pessoas que viveram esse momento, seja pelo legado de outros que já se aposentaram e não haviam desistido de encontrar pistas e sentido, seja por terem acompanhado em reportagens – Wichita Eagle – ou investigações policiais.

Dennis Lynn Rader era escoteiro, pai de família, tendo um relacionamento estável com a esposa e a confiança dos filhos. Presidente da congregação local, tendo também trabalhado com alarmes e sendo posteriormente um funcionário exemplar da prefeitura, conhecido, sobretudo, por sua pontualidade e rigor às normas. Nas horas vagas, Rader era o BTK, um assassino em série especializado em amarrar, torturar e sufocar suas vítimas para obter prazer sexual. Rader estava acima de qualquer suspeita.

Escrito por várias mãos, BTK Profile entrega, surpreendentemente, um texto bastante fluido, de compreensão fácil e leitura rápida – embora não tão tranquila, afinal, estamos falando de casos reais, algo não tão simples de engolir. Com capítulos curtos e objetivos, além de contar com fotos e um guia de referências que facilita a busca no próprio livro, BTK é um título interessante para quem deseja iniciar a leitura de Crime Scene.

Grande parte da minha aventura lendo BTK aconteceu durante a noite e a madrugada, inclusive durante as viagens de ônibus. O silêncio noturno é, definitivamente, o melhor amplificador do medo para essas leituras em especial. Basta um ruído do cachorro passando pelo portão de fora, um bater das janelas ou deslizar de prato na cozinha, qualquer som vira terror. Rader, o BTK, costumava arrombar as casas que invadia, quebrar janelas para entrar, além de cortar os fios de telefone. Entende o surto do leitor?

Arquivo pessoal

Elogiar a edição em capa dura, com verniz localizado e fita de cetim de crime scene da Darkside, bem, acho que nem precisa, ein? A editora faz tudo com bastante capricho. Um único ponto que vou citar, não para ser chato, mas para deixar claro é o seguinte: o leitor mais atento talvez encontre alguns erros de revisão nessa primeira edição, provavelmente de digitação. Não é algo que irrite ou incomode demais, então acredito que serão corrigidos numa próxima.

BTK Profile: Máscara da Maldade reconstrói os terrores de Wichita, nos EUA, quando um assassino em série proporcionou os piores pesadelos à comunidade pacata por cerca de 30 anos. Leitura fluida, conteúdo assustador.

Leitura recomendada para quem gostou de: Lady Killers, Columbine, Anatomia do Mal.

ATENÇÃO: NÃO RECOMENDADO PARA LEITORES SENSÍVEIS A TEMAS COMO ASSASSINATO E TORTURA.
BTK PROFILE Book Cover BTK PROFILE
CRIME SCENE
ROY WENZL ET AL.
Não Ficção
Darkside Books
2019
Capa Dura
416

Ao longo de três décadas, um monstro aterrorizou os moradores de Wichita, Kansas. Um assassino em série que amarrava, torturava e matava mulheres, homens e crianças, iludiu a polícia por anos a fio enquanto se vangloriava de suas terríveis façanhas para a mídia. A nação ficou chocada quando os crimes de BTK ― a sigla para os termos em inglês bind, torture, kill, que eram sua assinatura criminosa ― foram enfim associados a Dennis Rader, um vizinho amigável, marido devoto e respeitado presidente da congregação de uma igreja local.

O jornal Wichita Eagle fez a cobertura do assassino em série desde seu primeiro ataque, em janeiro de 1974. Desde então, o jornal, a polícia e o assassino desenvolveram um intricado relacionamento. Foi por meio do Eagle que BTK enviou sua primeira mensagem, em 1974. Foi para o Eagle que, alguns anos depois, o desesperado chefe de polícia de Wichita pediu ajuda para criar uma armadilha para o assassino. Foi em uma carta para o Eagle que BTK anunciou seu reaparecimento, em 2004. E foi por meio dos classificados do jornal que o chefe da investigação levou BTK a cometer um erro que resultou em sua captura, em 2005.

O Wichita Eagle transcreveu todo o julgamento e o postou na internet para que a população tivesse acesso à informação. A imagem da estranha máscara feita de plástico resistente, na qual ele pintara lábios, cílios e sobrancelhas se tornou icônica entre as evidências do caso. A cobertura abrangente e aprofundada ― que gerou mais de oitocentos artigos entre 2004 e 2006 ― rendeu prêmios jornalísticos e elogios a uma dedicada equipe compromissada com a verdade. E virou livro. BTK Profile: Máscara da Maldade é um registro contundente e não uma mera reconstituição do caso, com uma narrativa íntima e completa de um pesadelo que assolou a cidade de Wichita por décadas, contada em primeira mão pelas pessoas que estavam lá desde a chocante descoberta.

Os repórteres que cobriram o caso reuniram documentos, evidências e depoimentos da força-tarefa designada para a investigação, colocando todas as peças do horrendo quebra-cabeça em seu devido lugar. Enquanto muitos se concentraram apenas em retratar o mal, o competente time por trás deste livro optou por dedicar a mesma quantidade de tempo às pessoas que o erradicaram. As pessoas que detiveram BTK são policiais de verdade ― personagens de carne e osso que baixaram a guarda para que os leitores pudessem seguir com eles em missões de vigilância e confronto, para dentro de seus lares e corações.

Os fãs da linha Crime Scene agora têm à disposição uma obra completa e cuidadosamente escrita para estudar o caso de Dennis Rader, o BTK. Em 2005, após a sua prisão e confissão, Dennis Rader teve a sua história contada no filme Hunt for the BTK Killer, de Stephen T. Kay, e também serviu de inspiração para Stephen King no conto “Um Bom Casamento”. Mindhunter, série da Netflix produzida por Charlize Theron e David Fincher, traz o assassino em destaque em sua segunda temporada, que tem estreia confirmada para agosto deste ano.

BTK Profile: Máscara da Maldade é um livro que investiga a mente e o comportamento humano e entra para a Coleção Profile da linha Crime Scene® ao lado de Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado e Killer Clown Profile: Retrato de um Assassino. O trabalho de Wenzl, Potter, Laviana e Kelly nos faz questionar se realmente conhecemos as pessoas que convivem conosco ― e o que nos torna vulneráveis diante do perigo.

Facebook Comments

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

About The Author

Dhiego Morais

Paulistano de nascimento, praiano por consequência. Nerd inveterado, descobriu desde pequeno o conforto dos livros e a habilidade de imergir em seus mundos. De romances a mangás, de literatura fantástica a não ficção, aprendeu com o tempo que basta um cantinho e uma boa história para ser feliz. Fã de Stephen King, de ir ao cinema e comer em um bom restaurante. Não necessariamente nessa ordem.

Related Posts